• VISITAS

    contador de acesso grátis



  • shareppt


  • Tradutor

    English French German Spain Italian Dutch Japanese
  • Leve-me com você



  • Conheça também



  • Minha Fã Page




  • Sou membro




  • Parceiros





  • Eu Apoio

  • Meta

  • Li e Gostei











  • Tú és este homem!

    28/01/2015 por Sonia Costa
    Mensagens

     

    Esta frase impactante foi proferida por Deus, através do profeta Natã, para o Rei Davi. Para entender melhor a minha linha de raciocionio, seria importante fazer uma pausa e conferir na Bíblia Sagrada em II Samuel cap. 11 e também o cap. 12. Imagino que naquele momento, ao ouvir aquelas palavras, Davi deve ter praticamente caído ou mesmo se jogado do seu trono com o rosto em terra e, em reverencia à presença de Deus, reconheceu e confessou imediatamente: “Pequei contra o Senhor”.

    No momento em que ele deveria estar na guerra liderando seus soldados, Davi preferiu mandá-los aos campos de batalha sob as ordens de Joabe e  ficar em Jerusalém, descansando ociosamente; enquanto passeava pelo seu palacio, viu Bate-Seba, a desejou e a possuiu indevidamente. Para acobertar esse adultério, chamou Joabe e deu-lhe instruções para que colocasse Urias, marido de Bate-Seba, na linha de frente da batalha; essa conspiração resultou na morte de Urias caracterizando um homicidio. É por isso que o profeta Natã afirmou que Davi matou Urias com a espada dos filhos de Amom.

    Quando leio a respeito da vida do Rei Davi, fico consternada com a existência dessa mancha pecaminosa em sua vida. Um homem segundo o coração de Deus (Bíblia Sagrada, I Samuel 13:14), que participou de grandes batalhas e sempre saiu vitorioso e que também foi perseguido e odiado por seu sogro, mas sempre recebeu livramento da parte de Deus, porém, num momento de distração, acabou desejando o que não lhe pertencia; por fim, consumou um pecado elaborado com todos os detalhes, de forma bastante racional e consciente. Uma coisa é tomar posse de alguma coisa que não tem dono; outra coisa é possuir algo ou alguém que não nos pertence.

    Sabemos que a cada tentação que o inimigo apresenta para nos enganar, o Espírito Santo de Deus estará sempre a nos alertar… “foge!”. Aí está o maior perigo, pois a “carne”, que corresponde ao nosso sentimento volitivo de desejos e sentimentos do corpo é fraca e instiga nosso pensamento a engendrar em como seria bom possuir o que não nos pertence (Bíblia Sagrada, Gálatas, 5:16-21). Tiago escreve muito bem a respeito do pecado sendo gerado em nossa mente: “Cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Não erreis, meus amados irmãos.” (Bíblia Sagrada, Tiago 1:14-16).

    Muitos homens de Deus pecaram, não porque estavam no lugar e na hora errada, mas sim porque não quiseram ouvir a voz do Espírito Santo que sempre nos avisa com antecedência a tempo de fugirmos; não podemos esquecer que nosso livre-arbítrio dado por Deus nos responsabiliza pelos nossos atos. Como diz o Apóstolo Paulo: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém: todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. (Biblia Sagrada, I aos Corintios 6:12 e também 10:23)”.

    Como já disse anteriormente, quando tentamos entrar por caminhos que nos levarão ao fracasso, Deus sempre nos manda um alerta de “volte” ou “fuja”. No caso de Davi, o pecado foi adulterio, mas temos outros exemplos bíblicos que Deus também alertou com respeito a outros tipos de pecado.

    No principio da criação Eva foi enganada pelo diabo através da serpente; sabemos que esse apelo ao pecado não foi momentâneo, mas durou um certo período de tempo, o suficiente para que Eva, antes de pecar, compartilhasse aquele fato com Adão e juntos seriam mais fortes para combater a tentação. (Bíblia Sagrada, Gênesis cap. 3)

    Outro exemplo é o de Caim; Deus o alertou para que não cometesse homicidio, mas foi em vão e acabou matando seu irmão, apenas por ciúmes. Por esse pecado ele sofreu pelo resto de sua vida. (Bíblia Sagrada, Gênesis 4:1-14)

    Quando Davi pecou Deus lhe disse que “a espada jamais se apartaria de sua casa” (Bíblia Sagrada, II Samuel 12:10); lamentavelmente, um de seus filhos, Amnon cobiçou sua propria irmã Tamar e simulando uma enfermidade conseguiu para atraí-la para si e a possuiu. Ele pagou por esse pecado com sua propria vida, pois para vingar sua irmã, seu irmão (Absalão) o matou. (Bíblia Sagrada, II Samuel 13)

    O exemplo mais clássico é o de José quando foi tentado diversas vezes pela mulher de Potifar; ele sempre se esquivava pois temia a Deus. Um dia aquela mulher planejou e criou circunstancias favoráveis para seduzir José, porém este entendeu que a única atitude possível era fugir do local e crer que Deus daria o livramento. Por permissão divina José foi para a prisão, porém sabemos que Deus estava no controle de todos esses fatos. No momento certo José foi exaltado (Bíblia Sagrada, Gênesis cap. 39) e se tornou o Governador do Egito (Bíblia Sagrada, Gênesis cap. 41).

    Assim acontece na vida de todo aquele que se propõe a servir a Deus com integridade de coração. Nosso adversario, o diabo, não tem pressa e não se cansa, pois sendo espírito não está sujeito às dificuldades que enfrentamos com nosso corpo terreno. Cabe a nós ouvir a voz de Deus e fugir, literalmente, das circunstancias que estão nos instigando ao pecado.

    Se ao ler esta mensagem você percebeu que está enredado em situação semelhante a essas descritas acima, entenda como talvez essa leitura, possa ser o último aviso da parte de Deus para livrar sua vida da perdição. Lembremos sempre que qualquer pecado proporciona consequências às vezes irreversíveis. Tomemos cuidado e não nos deixemos ser enganados pelo nosso adversario, que sempre quer incutir em nossa mente que ninguém está vendo ou percebendo, sem contar que Deus está vendo e sabendo das nossas intenções quando agimos. Faça como José: fuja e Deus te dará o devido livramento.

    Leituras complementares na Bíblia Sagrada:

    Salmo 51

    Jeremias cap. 18

    Ezequiel cap. 18

    Ezequiel cap. 33

    Romanos cap. 7

    Gálatas cap. 5

    PS: se você foi tocado por esta palavra, divulgue o mais que puder, pois alguém poderá estar precisando de um livramento.

     

     

     

     

    Se as portas se fecharem, abram as janelas.

    07/05/2012 por Sonia Costa
    Mensagens

    Sabemos que portas e janelas são abertas ou fechadas apenas a partir de uma ação humana; com isso compreendemos que somos os únicos responsáveis pelo que possa acontecer quando decidimos abrir ou fechar uma porta e/ou uma janela.

    Constatamos isto em nosso cotidiano, principalmente quando displicentemente esquecemos de trancar com segurança nossa casa, carro, etc. Meu objetivo, porém, é refletir simbolicamente o que portas e janelas representam em nossa vida emocional e espiritual. De um modo geral as portas representam segurança, e as janelas, comunicação.

    Lendo a historia de Noé e o diluvio poderemos compreender melhor aonde quero chegar. Tanta era a confiança que Noé depositava em Deus que, após cumprir todas as orientações divinas, permitiu que Ele fechasse a porta da arca pelo lado de fora. Deus em sua sabedoria agiu assim, para proteger a todos que alí estavam, de forma que pudessem sair da arca apenas quando houvesse perfeita segurança. Com essa atitude, Deus estava assumindo total responsabilidade pela integridade e salvação da familia de Noé.

    Deus fechou a porta da arca, mas deixou que a janela ficasse sob a responsabilidade de Noé; ele poderia abrí-la sempre que quisesse ou precisasse se comunicar com Deus ou mesmo saber o que estava acontecendo do lado de fora da arca. Noé ficou em paz esperando o tempo necessário para, através dos pássaros, entender o que ele não conseguia ver com seus próprios olhos.

    Em determinadas circunstancias da nossa vida, Deus toma atitudes que nos parecem radicais, simplesmente porque Ele, sendo onisciente, sabe que por nossa curiosidade, poderemos nos envolver em catástrofes desnecessárias. Deus nunca nos deixa incomunicáveis ou alienados do mundo exterior. Se Ele nos isola por um determinado período de nossa vida, é para modificar as circunstâncias que poderão nos prejudicar; Ele nos tira de cena para dar solução a determinados problemas, nos poupando de sairmos machucados em situações que nos seriam constrangedoras.

    Portanto se nos encontrarmos em alguma situação sem saída, quando costumamos dizer que “as portas estão fechadas”, não será conveniente nos revoltarmos contra tudo e contra todos, ou mesmo nos colocar em posição de coitadinhos. Devemos lembrar que temos um Deus que está no controle de todas as coisas; no momento certo, quando houver segurança, Ele mesmo virá nos abrir a porta. Precisamos entender que portas fechadas por Deus, são para nos proteger e não para nos privar de algo que necessitamos ou desejamos.

    Em tempos de portas fechadas sempre haverá uma janela de comunicação com o nosso Deus. Quando nos recusamos a abrir a janela de comunicação com Ele, sofremos emocionalmente pois fazemos falsas conjecturas com respeito ao que desconhecemos, que é o dia de amanhã. O salmista no Salmo 46:10a transmitiu uma palavra profética vinda da boca do próprio Deus que diz: “aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”; a Bíblia NVI diz assim: “Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus!”.

    Quantos de nós encontramos dificuldades em conviver com o silencio de Deus, principalmente quando Ele nos deixa enclausurados e sem saída. É nesse momento que temos a oportunidade de exercitar nossa fé no Todo Poderoso, em quem temos crido. Não podemos nos esquecer que sempre encontraremos uma janela de comunicação com Deus, pois somente Ele nos confortará em todas as adversidades. Assim como as aves indicaram a Noé qual o momento certo para sair da arca, também seremos orientados através do Espírito Santo de Deus, a entendermos quando é o momento certo que Deus chegará para nos abrir a porta.

    Deus é o único Ser que quando fecha uma porta, ninguém abre, mas quando abre, ninguém a pode fechar. (Ap. 3:7) É importante sempre deixarmos aberta a janela de comunicação com Deus, para que quando Ele nos chamar para fora do problema, possamos estar com disposição para receber com alegria a vitoria que nos espera! Assim como Abraão, sejamos fortalecidos em nossa fé louvando e glorificando a Deus em todas as circunstâncias.

    Deus é fiel!

    Por Sonia Valerio da Costa

    Em 07/05/2012

    O Amor Está No Ar!

    28/05/2011 por Sonia Costa
    Mensagens

    (Google Imagens)

    Sempre quando nos aproximamos do mês de junho, exatamente do dia 12/06, pelo menos para os brasileiros, sentimos uma nostalgia gostosa pairando no ar, invadindo nossos corações e nos trazendo uma sensação de prazer e bem-estar. Consciente ou inconscientemente começamos poetar em palavras, a música que insiste em explodir de dentro de nossa alma. Claro, é a necessidade de possuirmos um amor para comemorar em grande estilo.

    Todos nós já experimentamos essa sensação, pois é próprio de todo ser humano, a necessidade de amar e ser amado. Ter e poder usufruir de um amor, deveria ser uma constante ininterrupta em nossas vidas e não somente quando nos aproximamos do “dia dos namorados”. A questão é que como seres humanos que somos, temos nossas falhas e, infelizmente, o amor que dedicamos a alguém, também pode sofrer alterações momentâneas; precisamos aprender a trabalhar com isso, para que essas alterações não se tornem definitivas e acabem destruindo o belo, que outrora parecia imutável e indestrutível.

    Tudo nesta vida é passageiro; até mesmo o amor humano. Às vezes costumamos dizer que fica viúvo é quem morre. Pensando bem, é a saudade que toma o lugar do amor que foi vivenciado e, por se entender que ele jamais voltará, vamos abrindo espaço e permitindo que aquele amor possa ser desconstruído, desalimentado e finalmente enterrado, pois sabemos que a nossa vida continua e não podemos nos enterrar vivos com um passado que acabou.

    Quando perdemos um amor, seja para a morte ou mesmo para outra pessoa, tendemos a digerí-lo, de forma a permitir que ele se esvazie por si só; depois de digerido, o amor passado não poderá mais interferir em um novo amor que surgir diante de nós. Sempre achamos que não conseguiremos superar, mas como tudo é passageiro, sabemos muito bem que temos capacidade de virarmos a página do passado e caminharmos em direção a uma nova alegria; é nesse momento que entendemos que está na hora de deixarmos a “fila andar”. Porque sofrer por alguém que não consegue reconhecer o nosso valor, sendo que existem mil e uma outras possibilidades de sermos valorizados!? É que o amor gosta e sente prazer no sofrimento; é por isso que investimos num amor, mesmo que nos pareça impossível. Os nossos sonhos falam mais alto e a esperança em vê-lo realizado chega a ser tão forte, que o desprezo passa a ser um incentivo a mais para que esperemos a flor desabrochar!

    Tanto homens quanto mulheres sentem prazer em viver num jardim florido, onde possam sentir o perfume do amor acompanhado do canto de pássaros, de preferência num dia ensolarado. Podemos dizer que esse sentimento, cultivado no jardim de nossas vidas são sentimentos do amor amigo. Esse nobre sentimento da amizade, apesar de ser importante para nossa auto-estima, é insuficiente para satisfazer todos os desejos da nossa alma. Por isso, mais dia, menos dia, olhamos para o nosso jardim e, de repente, uma das flores que embelezam nossa vida, passa a ter um algo a mais de especial, de inexplicável, e de incontrolável, que entra em nosso pensamento e desce ao nosso coração, sem pedir; a partir de então esse sentimento começa a criar raizes de emoções incontroláveis e toma conta de todos os nossos momentos, tanto do dia quanto da noite e até mesmo durante nossos sonhos. Claro, é o amor que está no ar!

    Quando esse amor nos envolve, vivemos tanto momentos de euforia como de tristeza, devido a incerteza de não sabermos se estamos ou não, sendo correspondidos. Esse tipo de amor é tão forte e intenso que transparece através de nossos poros, nossos gestos, nossa voz, nosso olhar, nosso andar e do nosso agir. Quem ainda não foi questionado por seus amigos “você está diferente, mais bonito(a)!?… hummmmm, qual é a novidade?”. Aí, claro, o amor que está no ar nos impede de conseguirmos disfarçar o sorriso de quem viu “passarinho verde” e que teima em nos trair!

    Pelo amor vivemos e pelo amor também morremos! Ao mesmo tempo que o amor nos dá estímulo para a vida, pode também nos encorajar para a morte em nome do amor. Quando o amor está no ar, temos dificuldades de controlar nossos atos e emoções; até mesmo nossa razão entra em parafuso. Precisamos sempre lembrar que somos humanos e que assim como os outros falham para conosco, nós também cometeremos falhas para com eles; assim, o importante é perdoarmos sempre. O perdão alimenta o amor e possui todos os ingredientes necessários para que o amor seja sadio.

    O perdão atua como um hormônio para que o amor possa crescer e chegar ao amadurecimento, alimentando e sendo alimentado. Amor e perdão, perdão e amor sempre devem andar juntos, pois um alimenta o outro. Desde sempre o amor esteve no ar, nós é que muitas vezes não nos damos conta da sua existência. Quando olhamos apenas para nós mesmos, deixamos ervas daninhas, como a auto-suficiência, o orgulho e o egoísmo tomarem conta do nosso jardim, e por isso não conseguimos sentir a presença do amor.

    Se alguém estiver carente e necessitado de amar e ser amado, existe um amor que sempre esteve no ar: é o amor de nosso Deus que nos criou. Esse é o amor perfeito, saturado de perdão e ao mesmo tempo de justiça. É Ele que nos mantém com vida e através do Seu amor, nos deu Seu proprio Filho Jesus Cristo para nos dar a vida eterna. “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito, para que todo o que nEle crer, não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo. 3:16)

    Quando temos esse amor perfeito atuando em nossas vidas, temos maior facilidade para amarmos nossos semelhantes e também sermos amados por eles. O amor de Deus em nossas vidas proporciona condições para que o amor flua de forma mais prazerosa entre nós; essa afirmação pode ser compreendida pelo simples fato que quando amamos e sentimos que somos amados, teremos maior possibilidade de expressar esse amor e levar vida para as pessoas com as quais nos relacionamos. O amor de Deus para conosco é tão forte, que nos atraiu a Ele através da morte de seu Filho Jesus Cristo na cruz do calvário nos proporcionando vida eterna, para que pudéssemos viver esse amor eternamente. Que o amor que Deus demonstrou ter por nós, possa ser um exemplo de dedicação e afeto aos que convivem conosco!

    Sempre sentiremos o amor no ar enquanto Deus estiver em nosso coração! O amor está no ar! Abra seu coração e permita ser amado(a) e também ame com todas as suas forças! O amor é vida! O amor é alegria! O amor é festa! Faça com que sua vida seja uma festa ininterrupta! Deus nos ajudará a vivermos assim, porque o amor está no ar!

    (Google Imagens)

    Por Sonia Valerio da Costa
    Em 28/05/2011
     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Related Posts with Thumbnails