• VISITAS

    contador de acesso grátis



  • shareppt


  • Tradutor

    English French German Spain Italian Dutch Japanese
  • Leve-me com você



  • Conheça também



  • Minha Fã Page




  • Sou membro




  • Parceiros






  • Eu Apoio

  • Meta

  • Li e Gostei











  • Antes Que o Meu Tinteiro Seque.

    07/11/2010 por Sonia Costa
    Poesias

    (Imagens Google)

    Antes que meu tinteiro seque,

    É eufemismo p’ra dizer

    Do fim da pista

    Que a gente vê aproximar-se,

    Sem a placa de “Retorno”;

    Tudo, tudo a me falar

    Que ainda ficou muito por fazer…

    Ficou aquela carta a responder!

    Não houve tempo de perdoar a ofensa

    E esquecer!

    Antes que meu tinteiro seque,

    Devo meditar, orar e agradecer,

    Devo amar, perdoar, me arrepender,

    E crer,

    Nas riquezas não daqui,

    Mas do alto, logo alí,

    Onde meu Cristo está,

    Onde irá,

    Após meu fim de pista,

    Quando o meu tinteiro secar,

    Com ternura, no LAR me receber.

    (Colossenses, 3.1-2)

    (Poema publicado no livro O Perdão, do Pr. Pedro Mendes, nascido em 1921 e Ministro do Evangelho, desde 1948)
    Postado por Sonia Valerio da Costa
    Em 07/11/2010

    Carta ao pai

    05/08/2010 por Sonia Costa
    Poesias

    (Google Imagens)

     

    Queria, caro papai,
    neste dia, que é dedicado
    aos pais de todo mundo,
    escrever-te uma carta
    para dizer-te, bem no fundo,
    que te amo tanto, tanto.

     

    Mas não sei teu novo endereço
    nem encontro um mensageiro
    que, bem ligeiro,
    possa logo encontrar-se
    onde foste morar.

     

    Sempre estiveste perto de mim,
    mesmo estando longe,
    bastava estender a mão
    para sentir palpitar o teu coração
    e assim matar a saudade.

     

    Desejaria, neste dia,
    dizer-te tantas coisas
    que outrora não podia
    ou mesmo não sabia
    enquanto comigo vivia.

     

    Se hoje sou um homem realizado,
    devo-o a ti papai amado.
    Não me deixaste nem prata nem ouro,
    mas um corpo cheio de energia,
    muita virtude e sabedoria.

     

    Aproveitei muito teus conselhos,
    mesmo se em algum dia
    fingia que não os ouvia.
    Sinto ainda o calor do teu corpo
    quando me aquecias nas noites frias.

     

    Cansado quando te deitavas no leito,
    saia do teu peito
    a mesma oração:
    “Bendito seja o Senhor Deus
    meu bondoso Pai do céu!”

     

    Enquanto continuo a caminhada
    nas estradas deste mundo
    como quando era criança,
    cheio de amor e de confiança,
    seguirei teu exemplo e tuas pegadas.

     

    Conheça também A origem do “Dia dos Pais” 

    Fonte: “Origem das Datas Comemorativas” de Mario Basacchi
    Postado por Sonia Valerio da costa
    Em: 05/08/2010

     

    Sentimento de Um Bebê

    07/05/2010 por Sonia Costa
    Poesias

     

    Quando bebê me agarrei ao ventre ,
    Daquela que me fez gerar,
    Comecei como uma pequena semente a germinar
    Pois ali naquele leito não me faltava calor,
    Nem tão pouco amor,
    Que já no começo da vida sabia cativar, e respeitar…

    Quando dormias sentia o seu coração a pulsar,
    Era minha música preferida ,
    Era a minha canção de ninar.

    Um dia ao sentir Ela triste num canto,
    Fiquei pensando no porque daquele pranto
    Pois ali Eu estava para te amar e alegrar.

    Foi quando o motivo vim saber,
    Minha formosa Mamãe era sozinha
    Tinha dias que nem o pão tinha,
    Para naquele momento comer..

    Ficava preocupado comigo, mas eu já era forte,
    Já tinha até suporte, pra vida que fui escolher
    Hoje em forma de poesia venho a lhe agradecer,
    Pedindo sempre a Deus para lhe proteger,
    Pois sem ti minha Mãe querida
    Eu não teria a abençoada oportunidade de

    Viver…

    Autor: Denilson Ferreira da Silva

    Fonte: site: Encanto e Poesia

    Postado por: Sonia Valerio da Costa
    07/05/2010
    Related Posts with Thumbnails