• VISITAS

    contador de acesso grátis



  • shareppt


  • Tradutor

    English French German Spain Italian Dutch Japanese
  • Leve-me com você



  • Conheça também



  • Minha Fã Page




  • Sou membro




  • Parceiros





  • Eu Apoio

  • Meta

  • Li e Gostei











  • Eleições 2014: vote consciente

    12/10/2014 por Sonia Costa
    Reflexões

     

    Pensando no processo eleitoral que estamos vivenciando em 2014, elaborei diversos questionamentos que pudessem me ajudar a decidir em qual candidato votar. Decidi compartilhar essa minha linha de raciocinio, pois entendo que servirá de apoio aos leitores deste Blog, a também decidirem seu voto de forma consciente, tanto para Presidente como para Governador e Senador nos estados onde haverá 2o turno também para esses cargos. Acompanhe meu raciocinio e tire suas proprias conclusões.

    Pontos que precisamos analisar na escolha de um candidato para decidirmos nosso voto:

    Programa de Governo

    Meu candidato tem um Programa de Governo claro, transparente e viável na sua aplicabilidade? Esse Programa abrange todos os aspectos que a sociedade está clamando por melhorias, principalmente na saúde, segurança, educação, habitação e combate a pobreza? Seu Programa é passível de implementação ou é um sonho inatingível? Seu Programa inclui propostas de reforma política, econômica, tributária e social? Meu candidato demonstra ter conhecimento da atual realidade econômica do Brasil quando apresenta propostas de melhorias para o povo brasileiro, ou essas mesmas propostas são vazias de conteúdo, e estão carregadas de sensacionalismo apenas para ganhar o meu voto? No seu Programa consta a liberdade de expressão e a manutenção da democracia, tão importantes para o desenvolvimento do Brasil?

    Moral

    Meu candidato tem moral em sua trajetoria política e se faz respeitar em suas atitudes como figura pública? Suas palavras demonstram um carater firme que inspira confiança de que vai cumprir suas promessas? Como meu candidato se comporta numa circunstância de stress? Sua atitude é de rebater o oponente com palavras sem fundamento ou ele tem equilibrio ético, proprio de um estadista? Suas propostas são inéditas ou apenas focadas no seu oponente, como forma de demonstrar que pode fazer melhor que seu adversario, mas não consegue apresentar propostas consistentes? Precisamos considerar também a moral das pessoas que estão apoiando a campanha do candidato de nossa preferencia, pois o antigo ditado “diga-me com quem andas e te direi quem és”, é bastante verdadeiro.

    Religião

    Independente da religião que meu candidato professa, mesmo que até seja bastante firme em suas convicções,  ele demonstra respeitar o pensamento do povo brasileiro como um todo? Num país onde existe pluralidade religiosa precisamos defender a necessidade de um Estado laico, onde tanto o executivo como o legislativo possam administrar de forma não tendenciosa com relação a qualquer uma das religiões professadas em nosso país. Dessa forma preciso saber se  o candidato que escolhi tem demonstrado proteger determinadas minorias em detrimento de outras ou ele age imparcialmente atendendo de forma igualitaria a todos e quaisquer grupos religiosos, étnicos e ideológicos? Saibamos separar o aspecto civil do aspecto religioso, seguindo a orientação dada por Jesus “dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus” (Mt. 22:21). Escolhamos um candidato que trate equilibradamente todas as formas de pensamentos e ideologias.

    Trajetoria política

    Se meu candidato já exerceu um cargo público, como foi sua atuação, sua assiduidade, seu compromisso e seu respeito para com o dinheiro público? Em seu histórico político consta que tenha sido participante ou mesmo conivente com a corrupção alarmante existente no Brasil? Quando lidou com a existencia da corrupção, ele foi a favor, ou contra os envolvidos? Acompanhou de perto o combate a essa corrupção ou se eximiu de responsabilidades?

    Discurso

    Meu candidato tem um discurso proprio ou age como marionete de alguém que está controlando e direcionando suas palavras? Seu discurso é baseado em sua experiência política ou é elaborado em cima de experiencias de outrem? O candidato escolhido consegue falar coerentemente e de improviso, ou tem sempre que consultar suas bases? Quando propõe melhorias e mudanças, demonstra clareza nessas tais mudanças, ou são palavras vagas e vazias apenas para impressionar aqueles que as ouvem? Não podemos esquecer que o candidato eleito vai representar o Brasil internacionalmente e tudo o que ele disser estará falando em nome de todos nós brasileiros, quer queiramos, ou não, quer aprovemos sua fala ou não.

    Pesquisas

    Nós, enquanto eleitores temos um termômetro natural e entendemos a direção que as massas se movimentam; assim podemos avaliar se as pesquisas de intenção de voto correspondem com a realidade do nosso entorno, ou não. Não podemos votar num candidato, simplesmente porque ele leva vantagem nas pesquisas de intenção de voto. Nosso voto é como um cheque em branco que assinamos em favor do candidato que escolhermos, dando-lhe plenos poderes para nos representar tanto no Poder Executivo, quanto no Legislativo.

    Financiamento da campanha

    Também é importante analisarmos se os gastos com a campanha está sendo coerente e equilibrado, ou se os gastos são astronômicos, totalmente fora da realidade. De forma direta ou indireta somos nós, cidadãos brasileiros que acabamos financiando as propagandas veiculadas nos meios de comunicação. Precisamos sim, saber quem está financiando, pois com certeza, quem subsidia uma campanha eleitoral sempre tem por traz um interesse pessoal ou ideológico.

    Com as análises acima espero ter contribuído beneficamente para sua decisão consciente por um dos candidatos deste 2o. turno das eleições de 2014 aqui no Brasil. Não anule seu voto e nem vote em branco, pois isso seria o mesmo que lavar as mãos diante de uma decisão tão importante para nosso país. De uma forma ou de outra sofreremos as consequencias independente do nosso voto, pois a maioria sempre vence. Não vamos nos esquecer daquela frase fatídica que, “Cada povo tem o Governo que merece”.  O nosso voto deve ser consciente e direcionado ao candidato que entendermos ser o que vai nos oferecer um governo que merecemos ter. Nos eximir dessa responsabilidade de ter votado conscientemente é uma atitude muito cômoda para depois podermos lançar a culpa em outrem. Precisamos assumir nossa responsabilidade como cidadãos brasileiros. Pense nisto!

    Para concluir, apresento a seguir alguns links que poderão ajudar na escolha de um voto consciente. Pesquise sobre a vida e atuação política do candidato que você pensa em votar

    Atlas Político

    Votos Brancos e Nulos

    Candidatos Ficha Suja

    Lei da Ficha Limpa

     

     

     

     

    Um Grande Homem (Arnaldo Jabor)

    26/11/2012 por Sonia Costa
    Reflexões

    Nós homens nos caracterizamos por ser o sexo forte, embora muitas vezes caiamos por debilidade.

    Um dia, minha irmã chorava em sua casa.. Com muita saudade, observei que meu pai chegou perto dela e perguntou o motivo de sua tristeza.

    Escutei-os conversando por horas, mas houve uma frase tão especial que meu pai disse naquela tarde, que até o dia de hoje ainda me recordo a cada manhã, e que me enche de força.

    Meu pai acariciou o rosto dela e disse:

    “Minha filha, apaixone-se por Um Grande Homem e nunca mais voltará a chorar”.

    Perguntei-me tantas vezes, qual era a fórmula exata para chegar a ser esse grande homem e não deixar-me vencer pelas coisas pequenas… Com o passar dos anos, descobri que se tão somente todos nós homens, lutássemos por ser grandes de espírito, grandes de alma e grandes de coração, o mundo seria completamente diferente! Aprendi que um Grande Homem… não é aquele que compra tudo o que deseja, porque muitos de nós compramos com presentes a afeição e o respeito daqueles que nos cercam.

    Meu pai lhe dizia:

    “Não se apaixone por um homem que só fale de si mesmo, de seus problemas, sem preocupar-se com você… Enamore-se de um homem que se interesse por você, que conheça suas forças, suas ilusões, suas tristezas e que a ajude a superá-las.”

    “Não creia nas palavras de um homem quando seus atos dizem o oposto.”

    “Afaste de sua vida um homem que não constrói com você um mundo melhor. Ele jamais sairá do seu lado, pois você é a sua fonte de energia.”

    “Fuja de um homem enfermo espiritual e emocionalmente, é como um câncer, matará tudo o que há em você (emocional, mental, física, social e economicamente).”

    “Não dê atenção a um homem que não seja capaz de expressar seus sentimentos, e que não queira lhe dar amor.”

    “Não se agarre a um homem que não seja capaz de reconhecer sua beleza interior e exterior e suas qualidades morais.”

    “Não deixe entrar em sua vida um homem a quem tenha que adivinhar o que quer, porque não é capaz de se expressar abertamente.”

    “Não se enamore de um homem que, ao conhecê-lo, sua vida tenha se transformado em um problema a resolver e não em algo para desfrutar.”

    “Não se apaixone por um homem que demonstre frieza, insensibilidade e falta de atenção com você; corra léguas dele.”

    “Não creia em um homem que tenha carências afetivas de infância e que trata de preenchê-las com a infidelidade, culpando-a, quando o problema não está em você, e sim nele, porque não sabe o que quer da vida, nem quais são suas prioridades.”

    “Por que querer um homem que a abandonará se você não for como ele pretendia, ou se já não é mais “útil? “…

    “Por que querer um homem que a trocará por um cabelo ou uma cor de pele diferente, ou por uns olhos claros, ou por um corpo mais esbelto?”

    “Por que querer um homem que não saiba admirar a beleza que há em você, a verdadeira beleza… a do coração?”

    Quantas vezes me deixei levar pela superficialidade das coisas, deixando de lado aqueles que realmente me ofereciam sua sinceridade e integridade e dando mais importância a quem não valorizava meu esforço?

    Um grande homem é aquele ser humano transparente, que não se refugia atrás de cortinas de fumaça, é o que abre seu CORAÇÃO sem rejeitar a realidade, é quem admira uma mulher por seus alicerces morais e grandeza interior. Um grande homem é o que cai e tem a suficiente força para levantar-se e seguir lutando…

    Hoje minha irmã está casada e feliz, e esse Grande Homem com quem se casou, não era nem o mais popular, nem o mais solicitado pelas mulheres, nem o mais rico ou o mais bonito.

    Esse Grande Homem é simplesmente aquele que nunca a fez chorar… É quem no lugar de lágrimas, lhe roubou sorrisos… Sorrisos por tudo que viveram e conquistaram juntos, pelos triunfos alcançados, por suas lindas recordações e por aquelas tristes lembranças que souberam superar, por cada alegria que repartem e pelos 3 filhos que preenchem suas vidas.

    Esse Grande Homem ama tanto a minha irmã que daria o que fosse por ela, sem pedir nada em troca…

    Esse Grande Homem a quer pelo que ela é, por seu coração e pelo que são, quando estão juntos.

    Aprendamos a ser um desses Grandes Homens, para vivenciar os anos junto de uma Grande Mulher e nada nem ninguém nos poderá vencer!

    “Envio esta mensagem aos meus AMIGOS “HOMENS”, para que lhes toque o coração e tratem de fazer crescer esse GRANDE homem que vive dentro deles. E às minhas amigas “mulheres” para que saibam escolher esse GRANDE HOMEM que Deus tem para elas.

    Por Arnaldo Jabor

    Postado por Sonia Valerio da Costa

    Em 26/11/2012

     

     

    A Andorinha (Parábola de Augusto Cury)

    02/11/2012 por Sonia Costa
    Reflexões

    Certa vez houve uma inundação numa imensa floresta. O choro das nuvens que deveriam promover vida, dessa vez anunciou a morte. Os grandes animais bateram em retirada fugindo do afogamento, deixando até os filhos para trás. Devastavam tudo o que estava à frente. Os animais menores seguiam seus rastros. De repente uma pequena andorinha, toda ensopada, apareceu na contramão procurando a quem salvar.

    As hienas viram a atitude da andorinha e ficaram admiradíssimas. Disseram: “Você é louca! O que poderá fazer com um corpo tão frágil?”. Os abutres bradaram: “Utópica! Veja se enxerga sua pequenez!”. Por onde a frágil andorinha passava, era ridicularizada. Mas, atenta, procurava alguém que pudesse resgatar. Suas asas batiam fatigadas, quando viu um filhote de beija-flor debatendo-se na água, quase se entregando. Apesar de nunca ter aprendido a mergulhar, ela se atirou na água e com muito esforço pegou o diminuto pássaro pela asa esquerda e bateu em retirada, carregando o filhote no bico.

    Ao retornar, encontrou outras hienas, que não tardaram a declarar: “Maluca! Está querendo ser heroína!”. Mas a andorinha não parou; muito fatigada, só descansou após deixar o pequeno beija-flor em local seguro. Horas depois, encontrou as hienas embaixo de uma sombra. Fitando-as nos olhos, deu a sua resposta: “Só me sinto digna das minhas asas se eu as utilizar para fazer os outros voarem.”

    Moral escrita pelo proprio Augusto Cury:

    Há muitas hienas e abutres na sociedade. Não esperem muito dos grandes animais. Esperem deles, sim, incompreensões, rejeições, calúnias e necessidade doentia de poder. Não os chamo para serem grandes heróis, para terem seus feitos descritos nos anais da história, mas para serem pequenas andorinhas que sobrevoam anonimamente a sociedade, amando desconhecidos e fazendo por eles o que está ao seu alcance. Sejam dignos das suas asas. É na insignificância que se conquistam os grandes significados, é na pequenez que se realizam os grandes atos.

    Este texto foi extraído do livro:

    Cury, Augusto. O vendedor de sonhos : o chamado.  19. ed.  São Paulo, Ed. Academia de Inteligência, 2010. p. 94-95.

    Postado por

    Sonia Valerio da Costa

    Em 02/11/2012

    Related Posts with Thumbnails